20799968_984096995064024_4905597364168475835_n (1)

Ao ler o bilhete acima, podemos ter duas perspectivas:

  • Ou há muitas crianças sem pai e isso demonstra o quão exagerada é a liberdade sexual nos dias de hoje, em que as mulheres saem por aí tendo filhos de pais relapsos, desinteressados e são muitos os casos em que o pai desconhece a existência do filho;
  • Ou que a escola ou professores estão de má fé para implantação de um dia chamado “Dia do cuidador” que, segundo os “educadores”, serve para acolher as crianças que são filhos de homossexuais, que não têm pais, moram com outros membros da família e afins.

Se é uma ou outra coisa não saberemos, mas o que podemos perceber, é que isso de uma desonestidade sem tamanho.

Segundo o bilhete, o cancelamento do dia dos pais dá-se por causa das crianças que não tem proximidade com o pai, mas o que eles não enxergam (no texto dizem que sim, mas em nenhum momento se compadeceram disso), é que as crianças que tem uma família completa também ficariam chateadas, pois elas têm um pai e querem homenageá-lo. Isso acaba, nas gerações futuras, por deturpar o valor de se ter uma família completa, por causa de uma minoria. Deve ser difícil não ter um pai ou ele não estar presente, mas o que não pode é abonar o valor dele porque alguns não o tem.

O mundo não é perfeito, todos temos alguma carência ou alguma dificuldade, mas o mundo não pode parar toda vez que alguém tem algum problema, devemos dar as mãos no sentido de enfrentarmos as dificuldades, ao invés de corrermos delas.

Estão criando um mundo, onde todos adoram o vitimismo ao invés de louvarem a coragem de enfrentar o mundo, um mundo de covardes.

Anúncios