Crueldade, farsa ou uma coincidência absurda, fato é que o suposto e-mail utilizado por Dilma para se comunicar com a empresária Monica Moura, esposa de João Santana (marqueteiro de Dilma), delatora da Operação Lava Jato, tem a data de morte do soldado Mário Kozel, de apenas 18 anos, morto em uma ação da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), ao qual Dilma fazia parte. O grupo atacou com uma bomba o Quartel General do II Exército em SP, durante o governo de Costa e Silva, cuja esposa chamava-se Iolanda.

A morte do Soldado foi em 26/06/1968 e o email da denuncia é 2606iolanda@gmail.com:

2017-05-14

O e-mail denunciado (2606iolanda@gmail.com):

emailiolanda[1]

Se é verdade, isto demonstra uma monstruosidade e uma psicopatia de Dilma que, segundo a delatora, o endereço de e-mail foi sugerido por ela. Como alguém pode orgulhar-se de algo assim? Se é uma farsa, é digna de publicitários, pela tal “coincidência” polêmica.

Segundo a denunciante, o e-mail seria utilizado para comunicação com os publicitários, mas as mensagens não eram enviadas, eles criavam rascunhos e compartilhavam a senha com a ex-presidente, em uma tentativa de não serem rastreados, pois os assuntos poderiam comprometer Dilma.

A notícia sobre o e-mail foi publicada aqui, saiba mais:

https://oglobo.globo.com/brasil/dilma-sugeriu-nome-iolanda-para-mail-com-pseudonimo-diz-delatora-21331273

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/2606iolandagmail-com/

Saiba mais sobre a biografia de Dilma e sua ligação com a VPR (Vanguarda Popular Revolucionária), grupo de  guerrilheiros (terroristas) de ideologia comunista, ao qual foi citado em meu texto:

https://educacao.uol.com.br/biografias/dilma-rousseff.htm

Anúncios