Observe a foto logo abaixo:

Lula-Dilma-e-FH

Bonita foto, não? Não! Mas bem adequada para esta notícia:

Delação feita por Odebrecht atinge cinco ex-presidentes da República: Dilma Rousseff (PT), Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Fernando Collor (PTC) e José Sarney (PMDB). Collor tem direito ao foro especial no Supremo Tribunal Federal (STF), onde foi aberto mais um inquérito contra ele. Como os outros não ocupam cargo público, e portanto não tem foro privilegiado, o relator da Lava-Jato no STF, ministro Edson Fachin, determinou o envio de indícios contra os quatro a outras instâncias do Judiciário.

O bom da história: Está acabando a impunidade no país, pelo menos estão indo atrás de “peixes grandes”.

O triste da história: Presidentes são o símbolo máximo de uma nação, eleitos pelo povo, então se todos os presidentes desta foto, que são quase todos que governaram no período pós regime militar, são denunciados por corrupção, dois deles receberam impeachment, isso significa que somos um país de elege os piores por vontade popular? Caso algum deles se candidate e seja eleito ou receba votação expressiva em 2018, saberemos a resposta!

Além dos ex presidentes, a lista de Fachin também tem 12 governadores, são eles:

Pezão – RJ;

Geraldo Alckmin – SP;

Paulo Hartung – ES;

Fernando Pimentel – MG;

Beto Richa – PR;

Flávio Dino – MA;

Marconi Perillo – GO;

Raimundo Colombo – SC;

Marcelo Miranda – TO;

Renan Calheiros Filho – AL;

Tião Viana – AC;

Robinson Faria – RN;

Anthony Garotinho – RJ;

Rosinha Garotinho – RJ;

Sérgio Cabral – RJ;

José Roberto Arruda – DF;

E oito ministros:

Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil;

Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência da República;

Gilberto Kassab (PSD), da Ciência e Tecnologia;

Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional;

Aloysio Nunes (PSDB), das Relações Exteriores;

Blairo Maggi (PP), da Agricultura;

Bruno Araújo (PSDB), das Cidades;

Marcos Pereira (PRB), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

As petições serão encaminhadas para diferentes instâncias e locais competentes para apuração das denuncias.

Anúncios