Não são poucas as pessoas que nos enviam mensagens nos “corrigindo”, começam a mensagem logo dizendo: “vocês escreveram errado o nome de vocês: o que dói, dói em alguém, então é doa em quem doer, não doa a quem doer, corrijam isso pra não ficar feio para vocês”. Será que estas pessoas estão certas?

Sempre respondemos dizendo que, antes de adotarmos este nome, fizemos exatamente esta consulta, ou seja: “doa ‘a’ quem doer ou doa ‘em’ quem doer?”.

“E agora José?”

thinkingman41

Vamos começar com respostas dadas via sites da Internet, veja o que o site UOL educação responde:

Doa a quem doer (ou doa em quem doer?)

Por Thaís Nicoleti

Fui consultado sobre a expressão “doa a quem doer”. Um leitor do jornal “Folha de S.Paulo” questionava se não seria “doa em quem doer”.

O “Dicionário Prático de Regência Verbal”, de Celso Luft, registra que o verbo “doer” admite preposição “a” mais um verbo no infinitivo. Tradução disso num exemplo:

– Dói a ele ver o filho assim.

O “Houaiss” registra exemplos semelhantes, mas com “lhe” no lugar de “a ele”.

Vejo o mesmo contexto na expressão “doa a quem doer”. O “a quem” seria equivalente ao “a ele” do exemplo anterior. “Doer” é o verbo no infinitivo. Logo, é perfeitamente possível a construção doa a quem doer.

Embora não seja o caso especificamente deste exemplo, é difícil justificar algumas expressões coloquiais da língua portuguesa. Elas foram popularizadas assim. E é assim que são usadas. Mexer nisso pode trazer mais dúvida do que clareza.

Uma tentativa de justificar “risco de vida” gerou a confusão que se vê hoje no uso dessa expressão. O brasileiro sempre ouviu “risco de vida”. Os mais puristas dizem -com certa razão- que não faz sentido correr risco de viver, mas sim de morrer. Por isso, preferem “risco de morte”.

Mas, se todos usavam a expressão antes e a entendiam, por que modificar? Por ser “certo”? Diria que é, no mínimo, discutível.

Um abraço,
Paulo Ramos

Onde? Aqui:
https://educacao.uol.com.br/dicas-portugues/ult2781u541.jhtm

Livros são citados na resposta deles, um de gramática outro um dicionário. É só consultar não e verdade?

Agora veja o que este site de Portugal (Ciberdúvidas da língua portuguesa) que se propõe a responder dúvidas da língua falada em Portugal e no Brasil responde à Maria de Lourdes, bancária de Aracaju, Brasil:

Qual o certo: Doa a quem doer ou doa em quem doer? Escuto sempre a primeira opção, mas não me consta que algo dói «a», e sim dói «em».

Maria de Lourdes bancária Aracaju, Brasil

O correcto é doa a quem doer, expressão idiomática de Portugal, que daqui foi para o Brasil.

J.N.H.

Onde? Aqui:

https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/doa-a-quem-doer/3620

Como pode ver, não há polêmica alguma, o correto é DOA “A” QUEM DOER, doa “em” quem doer é uma  intuição enganosa da linguagem! Outras expressões provocam isso nos locutores despreparados como, por exemplo, “risco de vida”, para muitos é inaceitável dizer isto, uma vez que o que se pretende dizer é que corremos risco de morrer, não de viver, mas é uma expressão idiomática também e quando corremos risco de morrer o correto é dizer que corremos risco de vida, mesmo assim, vê-se em grandes telejornais da tv brasileira seus apresentadores dizendo risco de morte, e até “que nem”, que é algo que não se escreve de jeito nenhum! “Pois não?”, quero dizer que “sim”, engraçado não? “obrigado”, é um agradecimento, mas como pode ser bom se foi obrigado? Então não é para entender, é para utilizar assim mesmo, sem tentar procurar pelo em ovo!

Anúncios