Devemos escolher um lado, o tal do isentão, aquele que tem opinião sobre tudo, porém todas as soluções tem uma conclusão diplomática, jamais sai de cima do muro, jamais assume um lado, no máximo se declara um torcedor, discursa bonito, infla o seu ego ao ser admirado pelos idiotas que o cercam.

O isentão é o pior covarde, pois ele não assume ter medo, apenas não luta, não quer confusão, é um pacifista, um bicho escroto que prega o bem do “País das Maravilhas”, o bem utópico, enquanto de fato permite o mal que reside no mundo real passivamente diante de seus olhos, é um hipócrita ou um alienado.

Claro, também há o isentão sem retórica, ele é o isentão puro sangue, porém não menos desprovido de atitude.

Escolha um lado, lute com as armas que você tem, mesmo que seja apenas a sua voz, mas não seja um isentão, ou um covardão, pois tudo aquilo que não presta deve ter uma reação oposta na mesma proporção ao dano ou ao perigo que oferece para sociedade, para as futuras gerações e para aqueles que não tem como se defender e principalmente para quem amamos.

Seja homem DOA A QUEM DOER!

“O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética… O que me preocupa é o silêncio dos bons.” (Martin Luther King Jr.)

“O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer.” (Albert Einstein)

“Pecar pelo silêncio, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes.” (Abraham Lincoln)

“Devemos escolher um lado… O silêncio encoraja o algoz, nunca o oprimido.” (Elie Wiesel)

Todo mundo conhece um isentão, ele é “o cara”, pois consegue conviver com realidades opostas, afinal o isentão não tem lado nenhum. Se alguém lhe disser que é socialista e cristão por exemplo, este é o tal do isentão, serve a dois senhores inimigos entre si, tudo tem um lado bom para o isentão em seu discurso, mas o lado que ele defende, para quem sabe bem o que é um isentão, é bem claro: ele defende o seu umbigo e o resto de si, o isentão é cheio de amigos, é simpático, pois o que ele quer é ser o isentão não quer confusão, ele pode até fingir militar por uma causa, ele pode até acreditar que faz isso e fazer com que os outros acreditem, mas ao primeiro desafio ele foge ou joga a responsabilidade para outros, ele adora inflar a multidão, jogar a lenha na fogueira, mas na hora da luta ele arranja compromisso ou pede ajuda, desde que a ajuda não necessite que ele participe do embate, ele parece ser boa gente, ter boas intenções, mas ele é uma coisa pior do que ser ruim, ele é um nada que está conformado em nascer e morrer sem que isso faça sentido, fim!

Sem mais, agora todos conhecem essa grande praga da humanidade!

elie-wiesel

Anúncios