Muita gente ainda se pergunta: Porque o homem mais popular da TV brasileira de todos os tempos não chegou ao cargo máximo da nação? Pois é, tentar ele tentou. E isso foi em 1989, nas eleições em que, sem dúvida, esteve presente o maior número de personalidades, entre elas: Paulo Maluff, Leonel Brizola, Lula, Ulysses Guimarães, Mario Covas e o vencedor Fernando Collor.

Um ano depois do próprio Silvio Santos dizer que nunca seria candidato para qualquer cargo eletivo, eis que ele muda de ideia. A partir daí podemos começar a arrolar os culpados pela “não eleição” do homem do Baú.

15749899_1332640313423174_1509042728_n

Primeiro culpado: AURELIANO CHAVES

Aureliano Chaves era o candidato do partido preferido de Silvio, o PFL. Grande parte do partido apoiava a sua desistência para que Silvio pudesse concorrer ao pleito. Aureliano que aparecia sem chance alguma nas pesquisas de intenção de voto não desistiu.

Segundo culpado: GUILHERME AFIF DOMINGOS

Depois da negativa do candidato do PFL, foi a vez de outro inexpressivo candidato negar a vaga ao homem do Baú. Afif Domingos era o candidato do PL, sem chance alguma segundo as pesquisas, ofereceu apenas a vaga de vice a Silvio Santos, que negou e continuou a busca por um partido.

Terceiro culpado: EDUARDO CUNHA

O partido que sobrou para Silvio foi o nanico PMN (Partido Municipalista Brasileiro). Armando Corrêa cedeu sua vaga faltando apenas 20 dias para as primeiras eleições diretas para presidente depois do fim do regime militar. Segundo as pesquisas de intenção de voto, Silvio já estava certo no segundo turno, tendo tirado muitos votos de Lula e de Fernando Collor. Em algumas pesquisas aparecia em primeiro.

Pronto, estava tudo certo para que o país tivesse no comando um homem direito, popular e excelente administrador! Silvio já tinha partido, número, jingle e vídeo de campanha! Estava tudo certo, se não fosse uma descoberta de ninguém mais, ninguém menos que Eduardo Cunha. À época o ex-presidente da câmara dos deputados fazia parte da equipe de Fernando Collor e encontrou uma irregularidade no partido do apresentador. O PMN deveria ter feito 9 convenções e fez apenas 4. Acabou ali o sonho de Silvio Santos e de muitos brasileiros.

Como estaria o país hoje caso ele vencesse as eleições de 1989? Muito difícil dizer, mas até o mais cético dos brasileiros certamente responderia que melhor do que hoje!

Anúncios